Custo x Benefício

Personal Shopping | Módulo 2 | Aula 12

Custo x Benefício

Preço x Qualidade

O melhor dos mundos nas compras é encontrar uma peça com muita qualidade e preço bom, mas não é bem assim. Até porque para ter qualidade, como vimos na aula anterior, tem tecido mais custosos, tem trabalho de modelagem, tem empenho no acabamento e tudo isso custa dinheiro para marca.

Mas é preciso estar atenta, pois existem peças baratas de qualidade e peças caras de má qualidade e como personal shopper é seu papel identificar a melhor qualidade que a cliente pode pagar.

Preço x Uso

Para justificar o investimento numa peça de maior preço (lembrando que cada cliente tem seu ticket de preço baixo / alto que você vai detectar pelo questionário) precisa avaliar os usos da cliente.

É sua responsabilidade durante o atendimento ajudar a cliente decidir se vale a pena ou não comprar. E para isso, use argumentos técnicos.

Você pode inclusive fazer uma conta coma cliente de preço por uso.

Exemplo 1:

Vestido de festa que custa R$ 500,00

Será usado 2x por ano

custa R$ R$ 500 / 2 = R$ 250,00 por uso

Exemplo 2:

Calça de alfaiataria que custa R$ 500,00

Será usado 5x no mês

Custa R$ 500 / (5×12) = R$ 8,33 por uso

Vale a pena colocar mais investimento em peças de maior uso.

Versatilidade

Tenha sempre em mente que clientes contratam personal shoppers para otimizar o tempo e fazer compras certeiras. Nesse aspecto pensar na versatilidade é um caminho de deixar sua cliente satisfeita.

Alguns parâmetros que te ajudam nas avaliações, lembrando que sempre poderão haver casos particulares, exceções.

1 x 3

Uso das Peças: 1 peça 3 ocasiões distintas

Varie:

  • formalidade – casual, formal, trabalho, fim de semana
  • Clima – verão, inverno, meia estação
  • coordenações – cor, estampa, textura, camada, acabamentos (cinto, acessórios, lenços)

1 x 5

Proporção de Peças no armário como um todo: 1 parte de baixo para 5 de cima

Partes de cima sujam mais, aparecem mais, gastam mais, por isso vale a pena mostra à cliente uma variedade de coordenações para mesma parte de baixo.

#dicafefuscaldo: Se aprofundar nos estudo de Styling te ajuda a aumentar o repertório de coordenações versáteis que você apresentará para cliente

Fernanda Fuscaldo

CEO do Instituto Consultoras de Imagem

 

Requisitos de Qualidade

Personal Shopping | Módulo 2 | Aula 11

Requisitos de Qualidade

O que faz a roupa ser boa não é seu preço alto, sim sua qualidade, que e a soma de design, corte, matéria prima e acabamento. 

Existem duas formas de detectar a qualidade de um tecido, faça e ensine a sua cliente, pelo toque e pela composição de fibras.

 

pelo toque

Passar a mão na peça e perceber pelo tato se tem toque agradável, se não tem aspereza, se não pinica. Afinal a peça vai passar o dia sobre a pele, precisa ser agradável para ser usada.

Composição

Toda peça de roupa contém uma etiqueta interna onde obrigatoriamente há a composição de fibras do tecido que ela é feita. Leia as etiquetas! 

As descrições das vendedoras, por vezes atrapalham… chamam de “sedinha”  um sintético de boa qualidade e isso só vai te confundir.

Tecido é assunto super extenso e complexo, por isso nosso intuito aqui é te mostrar como orientar suas clientes a escolher bem, o que é melhor para seu estilo e estilo de vida.

Não existe tecido bom ou ruim por si só, existe sua necessidade, seu estilo e o que aquele tecido pode fazer por você, bem como preço adequado ao material da peça.

Podemos dizer, que de maneira geral:

tecidos naturais: os mais comuns são linho, lã, seda, algodão, cachmere, jeans, brim, couro, camurça

  • mais elegantes, pois são mais nobres;
  • mais frescos, pois são mais respiráveis através da fibra;
  • mais caros, pois são mais custosos em termos de recursos da natureza para produção;
  • mais duráveis, quando bem cuidados;
  • mais trabalhosos de serem cuidados, geralmente precisam de lavagem manual ou à seco e passagem com muito cuidado.

tecidos sintéticos:  os mais comuns são viscose (boa qualidade), rayon (mais nobres), poliester e poliamida (quando imita seda é ruim), acrílico, nylon, poliester (bom quando tem mistura e para roupas de inverno), couro sintético (ou fake), suede (imita camurça)

  • mais quentes;
  • mais baratos;
  • mais poluientes;
  • menos duráveis;
  • podem guardar oderes, pois não deixam o corpo respirar;
  • mais fáceis de cuidar, secam mais rápido e não amassam.

Para comprar bons sintéticos, minhas recomendações são: 

  • tocar o tecido, gostoso no corpo, se não pinica, se não é áspero
  • se está pegando pelo
  • se e transparente, 
  • se não brilha demais, os de pior qualidade brilham mais.

Agora, a boa noticia é que o mais comum são peças com mistura de natural e sintética, para ser nobre e fácil de cuidar.

E sempre lembre que o armário “ideal” deve conter um mix de tecidos que funcionem para o Estilo de vida da cliente.

Exemplos:

  • Mora numa cidade quente? Ela vai se sentir melhor com blusas de tecido natural.
  • Não gosta de parte de baixo que marque o bumbum ou pernas? Tecidos sintéticos funcionam melhor.
  • Não tem passadeira ou possibilidade de mandar roupa na lavanderia sempre? Sintéticos são mais práticos.

Tecido plano: tecidos que não esticam.

Transmitem mensagem de formalidade, elegância, disfarçam melhor “gordurinhas”, celulite, dobras. Se isso for uma questão para cliente, é a melhor opção.

Malhas: tecidos que esticam, com elastano na composição

Geralmente mais confortáveis, permitem uma boa movimentação do corpo. Imprimem mensagem de informalidade, descontração.

Acabamento

Observe também costuras, aviamentos, botões, fechos, por melhor que seja o tecido sem acabamento qualquer peça perde na mensagem de imagem.

Costura

Linha dupla e pontos mais juntos garantem uma costura melhor acabada e de longa durabilidade. Quanto mais afastado um ponto do outro, menos linha usada na peça e, consequentemente, se desmancha mais rápido.

Uma costura fechadinha torna a peça mais bem acabada, logo mais elegante e mais durável. 

Observe as costuras ao longo de toda peça, incluindo bainhas!

Interior da Peça

Uma peça de qualidade é tão bem feita e acabada por dentro quanto por fora.

Vire a peça do avesso, observe se ela tem forro e como é seu acabamento. Nas peças de boa qualidade, o forro é preso a roupa e compõe o interior. E outro detalhe, o forro não pode aparecer e nem criar volume.

Em calças é importante verificar se existe margem para fazer bainha e os bolsos.

Botões e Acabamentos

Teste as casas dos botões. Verifique se eles passam com facilidade e se estão bem costurados. Normalmente em peças de má qualidade, o botão é preso por uma ou duas passadas de linha apenas.

Em peças estampadas, precisa haver encontro de estampas

Fechos

Teste bem o zíper, se tem a base bem costurada, se corre macio.

 

Caimento

A última avaliação é completamente individual, varia de cliente a cliente. Uma mesma peça pode ter bom caimento em uma pessoa e não acontecer o mesmo para outra.

A peça precisa cair lisa no corpo e precisa ter respiro, entre corpo x peça. Quando justa demais parece que o corpo cresceu e grande demais, parece que a roupa está dominando a cliente.

Uma peça com bom caimento:

  • Fica confortável;
  • Permite que a cliente se mexa;
  • Fica no lugar sem precisar de ajustes.

Uma peça de caimento ruim:

  • Não acompanha o movimento (a cliente mexe o ombro e trava seu movimento, por exemplo);
  • Fica subindo, caindo, cheia de franzido, requer que a cliente fique ajustando alguma coisa toda vez que se mexe;
  • Aparenta ser distorcida, isto é, fica larga em alguns lugares, apertada demais em outros.

observe com cliente parada na frente do espelho:

  • nas blusas: está subindo? Há uma manga maior que a outra? Está apertada nos ombros embora esteja boa na cintura? Não leve só porque achou bonitinho;
  • nas calças: há pernas rodando, com a costura do lado indo para o meio da perna? Está sobrando pano na braguilha da calça? A cintura está muito apertada, a ponto de não respirar bem? Está caindo na cintura?
  • Vestidos: fica marcando na barriga? Colado demais mostrando o que não deve? Alguma costura repuxada?
  • A costura repuxada deve ser observada em todas as peças.

Observe com a cliente em movimento (andar, sentar, abaixar, abraçar):

  • Observe se as pernas das calças rodam ainda mais para dentro ao andar, se sim, esqueça essa peça, está com defeito.
  • Saias que giram na cintura levando a frente para trás também não são uma boa escolha, mas podem ter conserto. É necessário porém ver se é possível consertar e se vale a pena.
  • Se a peça a agarra pelos ombros quando ela levanta, se deixa a calcinha à mostra quando se abaixa ou ainda roda as pernas para dentro – calça – quando ela caminha, é melhor escolher um tamanho maior para as duas primeiras situações.
  • Para o caso da perna rodada, temos um defeito. O melhor é procurar outra peça, a não ser que você não se importe.

Fernanda Fuscaldo

CEO do Instituto Consultoras de Imagem

Avaliações Necessárias

Personal Shopping | Módulo 1 | Aula 10

Avaliações Necessárias

Atenção: Após assistir o vídeo completo, clique no botão para marcar a aula como concluída. Dessa forma saberemos que você concluiu a aula.

Tipos de Lojas

Personal Shopping | Módulo 1 | Aula 9

Tipos de Lojas

Atenção: Após assistir o vídeo completo, clique no botão para marcar a aula como concluída. Dessa forma saberemos que você concluiu a aula.

Gerenciamento de Expectativas

Personal Shopping | Módulo 1 | Aula 8

Gerenciamento de Expectativas

Atenção: Após assistir o vídeo completo, clique no botão para marcar a aula como concluída. Dessa forma saberemos que você concluiu a aula.

Dia de Shopping

Personal Shopping | Módulo 1 | Aula 7

Etapas de Atendimento: Dia de Shopping

Atenção: Após assistir o vídeo completo, clique no botão para marcar a aula como concluída. Dessa forma saberemos que você concluiu a aula.

Pré Shopping

Personal Shopping | Módulo 1 | Aula 6

Etapas de Atendimento: Pré Shopping

Atenção: Após assistir o vídeo completo, clique no botão para marcar a aula como concluída. Dessa forma saberemos que você concluiu a aula.

Lista de Compras

Personal Shopping | Módulo 2 | Aula 5

Lista de Compras

Para otimizar seu trabalho no pré shopping faça a lista de compras da cliente

Passo 1 – Questionário para Cliente

Coleta de Informações vinda da cliente, é seu imput no planejamento.

Pode ser feito via questionário enviando por email para ela preencher ou através de uma conversa, onde você faz as perguntas e anota.

  • nome
  • idade
  • profissão
  • bairro / cidade onde mora
  • rotina do dia a dia
  • tamanhos e numerações que costuma usar (parte de cima, parte de baixo e sapato)
  • lojas / shoppings que costuma frequentar
  • restrições
  • motivo de procurar o serviço de personal shopper
  • orçamento disponível

Passo 2 – Avaliação do Acervo

#dicafefuscaldo Em caso de serviço avulso, quando você não conhece o armário da cliente, sugiro pedir uma foto do armário aberto. Assim é possível visualiza a variedade de cores que a cliente tem. Peça para ela contar sobre o que usa, sobre o que não usa, bem como sobre sua rotina do dia a dia.

Avalie a variedade do armário da cliente pensando em:

1) Cor – cor colorida / cor acromática

2) Padronagem – tipos de estampas

exemplo: clássicas, floral, geométrica

3) modelagem

exemplos: muita alcinha /  justa x larga

4) tecidos

exemplos: muita peça de malha / falta tecidos elegantes

5 ) quantidades

Distribuição de parte de cima x parte de baixo: equilíbrio de 5 x 1

Um armário que funciona precisa ter mais partes de cima que partes de baixo. Partes de cima aparecem mais, fica mais perto do rosto e logo chama mais atenção. Sujam mais, porque geralmente as pessoas transpiram mais na tronco. Gastam mais, porque são feitas geralmente de tecidos mais delicados.

parte de cima: camisa, blusa, colete, blazer, cardigam, sueter, jaqueta – tudo que coloca na parte superior do corpo

parte de baixo: calça, saia, short, macacão, vestido

6) divisão de tipos de pecas

  • básicas: coringas do seu armário, funciona para varias situações da sua vida
  • importantes: peças que imprimem o estilo, que fazem a diferença no look, peça chave
  • impactantes: não se costuma usar todo dia, mas dura a vida toda – ex: saia de paetê

7) o que ela anda usando

Avalie que tipo de peças e coordenações a cliente tem hábito de usar, para que você leva para o dia de shopping novas propostas. 

Importante também levar em consideração a rotina da cliente, como se locomove, o clima do local onde mora, se viaja com frequência, quais seus hobbys. Isso vai te ajudar a contextualizar as propostas que você vai fazer no dia de shopping.

Passo 3 – Lista de Compras

Liste as Peças de forma detalhada:

  • modelo
  • famílias de cores,
  • lisos / estampados
  • tipos de tecidos
  • função.
  • não deixe de incluir peças de acabamento, como acessórios, cintos, que normalmente as clientes tem dificuldade de comprar.

Fernanda Fuscaldo

CEO do Instituto Consultoras de Imagem

Atendimento

Personal Shopping | Módulo 2

Etapas de Atendimento

Nesse módulo você vai aprender o passo a passo de um atendimento de personal shopping. Etapas e avaliações necessárias durante a prestação de serviços.

Agendamento

Oportunidade de definir a demanda, duração, orçamento com a cliente. Além de passar o questionário, que pode ser via bate papo ou enviado para cliente preencher. Este deve sempre conter numeração de cliente e orçamento.

Essa etapa pode ser realizada presencialmente, através de vídeo conferência, uma ligação ou mesmo conversas pelo aplicativo de whatsapp. Alinhe o que é mais conveniente para sua agenda e para cliente.

Lista de Compras

Faça a lista de compras da cliente, Lista de Peças detalhando modelo, famílias de cores, lisos / estampados, tipos de tecidos, função.

Não deixe de incluir peças de acabamento, como acessórios, cintos, que normalmente as clientes tem dificuldade de comprar.

Pergunte a cliente sobre peças que estão velhas e que ela gostaria de substituir.

Pré Shopping

Pesquisa de Campo, sem a cliente, necessária para Selecione opções a demanda da cliente, organize um roteiro com a ordem das lojas que otimize ao máximo seu tempo com ela.

Com a cliente não é hora de passear por araras, é hora de comandar, passar segurança.

Na prática, com o questionário / levantamento da cliente em mãos faça o planejamento de lojas, de tempo e roteiro. Faça com 2 dias de antecedência ou na véspera, para que as lojas consigam reservar as peças para você. Também facilita fotografar as peças selecionadas, para mostrar a vendedora quando voltar à loja com a cliente.

Na hora de escolher onde ir leve em consideração:

localização

O ideal é que as lojas sejam próximas, na mesma região, para que seu tempo com a cliente seja otimizado, e não “perdido” em deslocamento.

A ordem das lojas também dever ser pensada para poupar zigue zague do shopping.

Orçamento

No levantamento com a cliente você já tem ideia pelas lojas que ela informou que costuma comprar qual ticket médio das peças que ela consome. A partir deste valor, faça um mix de lojas para mais e para menos.

Necessidade da cliente

A necessidade apontada pela cliente vai direcionar o tipo de loja que você vai escolher. Roupa de festa, Alfaiataria para trabalhar, roupa de frio para férias e por aí vai.

Tempo

Existe um quantidade de horas pré acordada no serviço (entre 2 e 3 horas é o ideal, vamos falar mais a frente), seu roteiro precisa caber nesse tempo.

Ao fim de toda pesquisa, com fotos em mãos, crie seu roteiro otimizado. Se você descartar alguma loja, guarde-a como coringa caso o que você mostrar à cliente não atender ou não der certo. Nesse roteiro, já inclua o local onde vocês vão tomar um cafezinho.

Dia de Shopping

Preparação da Cliente

Oriente à cliente sobre a melhor forma de ir vestida para este dia. Uma boa lingerie, roupa fácil de tirar e colocar, sapatos confortáveis.

Conversa quebra gelo

Antes de começar a visita, sente num café para uma conversa curta com a cliente sobre o roteiro, objetivos do dia e tudo que você planejou para o atendimento. Importante ouvir às expectativas da cliente e direcionar para que a conversa seja curta e objetiva (15 minutos são suficientes).

As Compras

Siga seu roteiro, não trate como passeio no shopping com uma amiga. Atenção à postura com a cliente, explicações técnicas e com as vendedoras, educação e firmeza para conduzir o atendimento sem interferência.

Para cada peça apresente possibilidades, incentive-a a experimentar mesmo que não goste “de cara”.

Avalie prós e contras, bem como custo x benefício, inclua ajustes necessário na conta da compra do produto, caso a loja não o faça e ajude a cliente com a marcação do mesmo.

Pós Compras

Acompanhe o ajuste das peças da cliente, se foi entregue na data certa, se foi feito corretamente e se a cliente ficou satisfeita.

Feedbacks

Relatório para Contratante

Nosso função, como profissional da área, além de entregar o melhor serviço é importante prestar contas as empresas que nos contratam. Isso ajuda a educar o mercado sobre os ganhos indiretos que o serviço agrega, como por exemplo, imagem, comunicação e experiência.

Por isso, sugerimos que Faça um Relatório de seu atendimento caso a contratante seja uma Pessoa jurídica, como hotéis, shoppings e lojas.

Este deve contar as seguintes informações:

  • informações pessoais da cliente – nome, idade, telefone, email, profissão, bairro, cidade que mora;
  • o que a motivou em procurar o personal shopping;
  • lojas visitadas durante o atendimento;
  • lojas em que realizou as compras, quantas peças e o valor aproximado.

Pesquisa de Satisfação

Peça à cliente atendida que responda um questionário de satisfação para metrificar os ganhos do serviço. Feedback é super importante para reporte a sua contratante e auto avaliação para aprimorar seus serviços.

Este deve contar as seguintes informações:

  • se expectativas foram atendidas
  • se ela encontrou o que precisava
  • qual retorno / benefício do serviço
  • gastou mais ou menos que esperava
  • se há algum comentário / crítica a fazer

Fernanda Fuscaldo

CEO do Instituto Consultoras de Imagem

Clique e faça download

Modelo de Questionário da Cliente

Clique e faça download

Modelo de Relatório de Prestação de Contas